Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Brasileiro é o mais empreendedor do mundo - Oportunidade ou necessidade?

Os empregos estão massantes, pouco desafiantes e com remuneração baixa. Esta é a moda, principalmente no Nordeste. E para completar, o que é pior, empresas com lideranças despreparadas para lidar com gente. Uma realidade que tenho constatado nos últimos anos em conversas formais e informais. Será o retrato atual do mundo do trabalho? "Salvo as excessões é claro!" De certo, empregos que provocam as pessoas a utilizarem todo o seu potencial criativo, somente nos anúncios de vagas. A realidade é outra. E por não encontrar solo fértil para aplicação de suas competências, profissionais jovens e maduros, vão à luta para abrir seus proprios negócios. Ou por necessidade de sobrevivência ou por paixão, talento e vocação.

Segundo o GEM - Global Entrepreneurship Monitor - entre os 17 países membros do G20 que participaram da pesquisa em 2010, o Brasil é o que possui a maior TEA (Taxa de Empreendedores Iniciais), seguido pela China, com 14,4% e a Argentina com 14,2%. Nos países do BRIC, o Brasil tem a população mais empreendedora, com 17,5% de empreendedores em estágio inicial, a China teve 14,4%, a Rússia 3,9%, enquanto a Índia não participou da pesquisa nos últimos 2 (dois) anos. Sendo que, em 2008, a TEA da Índia foi de 11,5%. O que se observa no Brasil em 2010 é que o crescimento da TEA é resultado do maior número de empreendedores de negócios novos. Os empreendedores nascentes no Brasil mantiveram-se na mesma proporção que em 2009.

No Brasil, desde o ano de 2003 os empreendedores por oportunidade são maioria, sendo que a relação oportunidade X necessidade tem sido superior a 1,4 desde o ano de 2007. Em 2010 o Brasil novamente supera a razão de dois empreendedores por oportunidade para cada empreendedor por necessidade, o que já havia ocorrido em 2008. Em 2010, para cada empreendedor por necessidade havia outros 2,1 que empreenderam por oportunidade. Este valor é semelhante à média dos países que participaram do estudo este ano, que foi de 2,2 empreendedores por oportunidade para cada um por necessidade.

Evoluimos, sem dúvida! Acompanho essas estatísticas desde o ano 2000. Áquela época, as pessoas empreendiam por necessidade, falta de empregos, desemprego etc. Depois de dez anos, o quadro mudou. Será que a Geração Y tem alguma infuência sobre essa mudança que considero positiva? Empreender por oportunidade, por vocação, por talento, por fazer o que gosta. O que você acha?    

Nenhum comentário:

Postar um comentário